CALHAS – CÁLCULOS

 

    
 Produtos:

Calhas
AlgerozaColarinhoCapa de PlatibandaDutosTerminal de CanhãoTerminal AletadoChapéu ChinêsCoifasFotosComercial
Ler a norma brasileira NBR-10.844 – Instalações Prediais de Águas PluviaisPara o cálculo das Calhas devemos calcular, antes, a quantidade de chuva que vai cair no telhado. 

A quantidade de água que uma chuva joga sobre um telhado varia em função de diversos fatores como o clima (tropical, equatorial, etc.), a estação do ano (primavera, verão, etc.) e a localização geográfica (norte, nordeste, sul, etc.).

Para o cálculo da quantidade de água, não se leva em consideração tais fatores mas apenas a maior intensidade da chuva. Mesmo em regiões de poucas chuvas como no nordeste brasileiro, quando chove a chuva pode ter uma intensiade pluviométrica tão grande como uma chuva em São Paulo. Não é a quantidade total de água que cai mas sim a quantidade em um determinado tempo.

 

Um bom número para quantidade de chuva é o seguinte:

 

0,067 litros por segundo por metro quadrado

 

Este número corresponde a uma chuva com período de recorrência de 100 anos e com intensidade pluviométrica de 240 milímetros por hora aplicável na maior parte do território brasileiro. Entretanto deve-se tomar o cuidado em determinadas regiões que podem apresentar valores bem acima. Veja na norma NBR-10.844 uma tabela com as intensidades pluviométricas em diversas regiões do Brasil. Para um valor mais preciso consulte o serviço de meteorologia mais próximo.

 

EXEMPLO PRÁTICO:

 

Vejamos como calcular a quantidade de água nas calhas de um exemplo como o da figura abaixo.

 

Essa casa tem apenas uma água (para facilitar a compreensão). O telhado mede 8 X 11,70 metros.
Primeiro você deve determinar os pontos de descida de água. Vamos colocar 3 condutores de descida nas posições indicadas na figura acima. Observe que o telhado ficou dividido em 2 áreas. A Área 1 de 7,20 X 8,00 e a Área 2 de 4,50 X 8,00 m.
A água da chuva que cair na Área 1 será recolhida pela Calha 1. A Calha 1 tem duas caídas, metade da água corre para o Condutor 1 e a outra  metade para o Condutor 2. Vamos chamar de V1 a vazão que corre para cada lado na Calha 1.

 

DETERMINAÇÃO DAS CALHAS:

 

V1 = 0,067 X 8,00 X 7,20/2 = 1,93 litros por segundo

 

Com o mesmo raciocínio, temos a vazão V2 que corre para cada lado da Calha 2.

 

V2 = 0,067 X 8,00 X 4,50/2 = 1,21 litros por segundo

 

Consultando a tabela acima, vemos que a Calha 1 pode ter o diâmetro de 100 mm podendo conduzir até 7,1 litros por segundo. Da mesma forma, vemos que a Calha 2 pode ter tembém um diâmetro de 100 mm. Estamos com bastante folga e podemos até pensar em algum obstáculo para o escoamento dentro da calha. Por exemplo, caso haja um entupimento dos condutores 1 e 3, toda a água deverá ser conduzida pelo condutor 2. Neste caso, a vazão total será de 2(1,93+1,21) = 6,28 litros por segundo, ainda dentro da capacidade da calha.

 

DETERMINAÇÃO DOS CONDUTORES VERTICAIS:

 

Pela figura, observa-se que o condutor mais solicitado é o Condutor 2 pois deve conduzir a vazão V1 e também a vazão V2.

 

VC2 = V1 + V2 = 1,93 + 1,21 = 3,14 litros por segundo.

 

Para atender à vazão de 3,14 litros por segundo, teremos que instalar um tubo de 100 mm com capacidade de 3,83 litros por segundo.

 

Algumas peças precisam de Ferragens para complementar a rigidez do conjunto.

 

A montagem das calhas começa pela peça chamada bocal de descida que deve ser firmemente fixada:

 

Depois que terminar a fixação de todos os bocais de saída, começa a instalar as calhas.
Tomar sempre o cuidado de deixar um caimento de pelo menos 2% para garantir que a poeira, terra e areia que forem depositadas serão lavadas na primeira chuva.

 

DETERMINAÇÃO DOS CONDUTORES HORIZONTAIS:

 

Chamamos de horizontais mas na verdade precisam ter um certa declividade. Com um caimento de apenas 1% já se consegue um bom escoamento de água. Entretanto, devemos sempre considerar que havrá partículas sólidas como terra e areia na água da chuva. Então o mínimo necessário será de 2%. Com esse caimento, consegue-se uma boa velocidade da água e essa velocidade é suficiente para carregar a areia junto.

A tabela acima leva em consideração a declividade mínima de 2%, tubo de PVC (rugosidade = Lisa). Para outros tipos de materiais não vale. Para tubo de cerâmica, barro, ferro fundido e canaletas feitas com concreto, consultar outras tabelas.

 

Caimento de 2% significa que em um trecho de 1 metro ou 100 centímetros, o desnível deverá ser de 2 centímetros.

As calhas de PVC possuem um encaixe tipo macho/fêmea com anel de borracha que garante a estanqueidade.

As calhas de chapa de ferro galvanizados deverão ser rebitadas para garantia da resistência mecânica e estanhadas para garantir a estanqueidade.

NOTA: As tabelas de calhas e condutores acima já levam em consideração o envelhecimento das peças.